• Frizzo

Josué 2

Atualizado: 17 de Abr de 2018


Foto: Ruínas de Jericó. Crédito: María Luján.

Introdução:

Os capítulos 2-6 formam uma composição. Têm seu nascimento em diversos contos menores. O episódio de Raab é a moldura: 2 + 6. Circunda outras narrações: a da passagem pelo Jordão num processional da arca da aliança mesclada à do memorial das doze pedras em Guilgal, nos capítulos 3-4, com que se visa memorizar que “Israel passou em seco o Jordão” (4,22). Os textos 3-4 são uma evidente renovação do êxodo! E esta é vinculada a um lugar sagrado que não era templo, mas um santuário a céu aberto. Guilgal não só está conectada às tradições da arca, êxodo revivido, mas também a da circuncisão (5,2-9), e, mais, a da páscoa, a celebração da primeira festa da colheita na terra: “comeram do produto da terra” (v.12). Em 5,13-15 ainda temos um episódio que parece um tanto enigmático, podendo remeter talvez a Êxodo 3,1-6 e 4,24-26. Parece bastante nítida em sua função: remeter ao “comandante do exército de Javé”, ou seja o próprio Javé, como o único que guerreia, sem qualquer auxílio humano, sem que qualquer pessoa tire vantagem desta guerra. Esta breve e enigmática cena de 5,13-15 indica para o próprio cerne da teologia do livro de Josué. Sob esta condição, efetiva-se a conquista de Jericó. A cidade cai pela procissão (6,1-21)!


Vamos ler Js 2:

2 Espiões em Jericó - 1. Josué, filho de Nun, de Setim, enviou, secretamente, dois homens para inspecionar a cidade: ˝Vão e vejam a terra de Jericó˝. Eles foram e entraram na casa de uma prostituta chamada Raab e pernoitaram ali. 2. Informaram ao rei de Jericó: ˝Eis que homens dos filhos de Israel vieram, esta noite, para examinar atentamente a terra˝. 3. O rei de Jericó mandou dizer a Raab: ˝Faça sair os homens que vieram a ti – que entraram na tua casa – pois foi para examinar atentamente toda a terra que eles vieram˝. 4. A mulher pegou os dois homens, os escondeu e disse: ˝Sim, eles vieram a mim, mas eu não sabia de onde eles eram. 5. E, como a porta da cidade estava para se fechar, à noite, os homens saíram, e eu não sei para onde foram. Persiga-os rapidamente e vocês vão alcançá-los˝. 6. E ela os fez subir no terraço e os escondeu entre os feixes de linho, por ela arrumados, em cima do terraço. 7. E os homens saíram em perseguição a eles pelo caminho dos desfiladeiros do Jordão, e fecharam a porta depois que saíram.


Pacto com Raab - 8. Antes que eles dormissem, ela foi até eles no terraço 9. e disse para eles: ˝Sei por que Javé deu a vocês esta terra, e que um grande medo caiu sobre nós. E todos os habitantes da terra estão com medo de vocês. 10. Pois soubemos como Javé secou as águas do mar de Juncos, diante de vocês, quando saíram do Egito, e o que vocês fizeram a Seon e Og, reis dos amorreus, que estão do outro lado do Jordão, que vocês exterminaram. 11. Soubemos e o nosso coração ficou desanimado e ninguém mais se animou, por causa de vocês. Porque Javé, seu Deus, é Deus, tanto lá em cima nos céus, como cá em baixo na terra. 12. E, agora, jurai-me por Javé, pois tive compaixão de vocês e vocês também deverão ter compaixão com a casa de meu pai. E vocês vão me dar um sinal verdadeiro: 13. voces vão deixar viver meu pai, minha mãe, meus irmãos e minhas irmãs, assim como tudo o que pertence a eles, e ainda preservarão nossas vidas da morte˝. 14. Os homens disseram para ela: ˝que nossa vida seja entregue no lugar da sua vida, se não denunciar nossa missão. E quando Javé der para nós esta terra, vamos ter misericórdia e lealdade com você. 15. Ela fez os homens descerem, por uma corda, pela janela, pois a casa onde ela morava, ficava na muralha. 16. Ela disse para eles: ˝Vão para a montanha para que não sejam encontrados por seus perseguidores. Escondam-se lá, por três dias, até voltarem os perseguidores, e depois sigam o seu caminho˝. 17. Os homens responderam: ˝Nós ficaremos livres deste compromisso com você, 18. se quando entrarmos na terra você tiver amarrado uma corda vermelha na janela, pela qual você nos fez descer. Então você reunirá com você, em sua casa, seu pai, sua mãe, seus irmãos e toda a família de seu pai. 19. Portanto, todo aquele sair de sua casa, será responsável pelo seu sangue derramado sobre sua cabeça e nós seremos inocentes, mas todo aquele que estiver com você na sua casa, o sangue dele cairá sobre nossas cabeças, caso alguém ponha a mão sobre ele. 20. E caso você denuncie tudo isto que falamos, estaremos livres do compromisso que fizemos com você˝. 21. Ela disse: ˝Que assim seja, de acordo com a palavra de vocês˝. Ela se despediu deles e eles partiram. Ela amarrou o cordão vermelho na janela. 22. Eles partiram e chegaram à montanha, e lá permaneceram três dias, até retornarem os perseguidores. Os perseguidores perguntaram por eles por todo o caminho, mas não os encontraram. 23. Os dois homens retornaram e desceram da montanha, atravessaram o Jordão e foram até Josué, filho de Nun, e contaram para ele tudo aquilo que havia acontecido com eles. 24. Disseram para Josué: ˝Javé, realmente, põe, em nossas mãos, toda esta terra e seus habitantes sentem medo diante de nós˝.

Nos capítulos 2 e 6 são retomadas antigas lendas, oriundas das mais diferentes tribos, espalhadas ao redor das cidades de Jericó e Guilgal. Neste grupo de textos, oportuno perceber que Raab abre e fecha a narrativa. Encontramos a seguinte estrutura:

Capítulo 2:

1) Raab recebe os enviados de Josué e os abriga em sua casa. Raab esconde (v.4), mente (4b-5.6a) e pactua com os enviados de Josué (8-13). O discurso de Raab bem demonstra ser uma releitura das declarações de fé no Deus de Israel (cf. Dt 26,5b-9; Js 24,2b-13). A narrativa destaca a adesão de uma estrangeira à divindade defendida pelos filhos de Israel (2,1). Ressaltar a grandeza de Javé junto às nações estrangeiras foi um forte desejo no projeto empreendido por Josias (Ex 14,21; Nm 21,21-26; Dt 4,39). As nações estrangeiras devem confessar que somente Javé tem o poder de salvar e segui-lo é o princípio para preservar a vida (Js 6). Os textos bíblicos guardaram a memória emblemática de Raab, ao ponto de preservá-la na genealogia de Jesus e em outros textos do Novo Testamento (Mt 1,5; Hb 11,31; Tg 2,25).

1b) Os enviados por Josué firmam o pacto com Raab (v. 14); Raab facilita a fuga e instrui como despistar aos guardas do Rei de Jericó: nas montanhas, três dias; pacto selado no uso do cordão escarlate. (21). Declaração do dom da terra feita pelos homens de Josué (21).

Capítulo 3:

Neste capítulo são evidentes a renovação do êxodo! E esta é vinculada a um lugar sagrado que não era templo, mas um santuário a céu aberto. “Três dias” – presente, passado e futuro. Elementos provenientes de antigos ritos: Arca da Aliança, Sacerdotes levitas, segui em procissão a Arca que segue diante do povo (3,6). As instruções/preparativos:

1- Moises → Josué (v. 7)

2- Arca → Sacerdote (v. 8)

3- Sacerdotes devem ouvir a Adonai (v. 9)

4- Deus vivo no meio do povo (v. 9b)

5- Terra do povo estrangeiro (v. 10)

6- 12 tribos de Israel

7- Divisão do Jordão

Passagem do Jordão: (v.14-17)

Capitulo 4: Memorial da passagem:

As pedras duas tradições: a) do leito do rio; b) local do acampamento (4,20). Quanto a Guilgal “círculo”: Santuário (Jz 3,19-26); Saul é ungido rei (1Sm 11,14-15); santuário de peregrinação (Am 4,4; 5,5; Os 4,15. Em Josué e a base das operações na ocupação da terra. As doze pedras tornam-se um símbolo para Israel (cf. Ex 24,4; 1Rs 18,31) .


Capítulo 5: Cerimônia em Guilgal (1-12).

A circuncisão poderia fazer parte de um antigo rito. Em Ex 12,44-48 marca o ritual que antecede a celebração da Páscoa. Possivelmente um rito antigo marcando a passagem da puberdade para a fase adulta, estando o homem apto para o casamento (Gn 34,14-24). A prática parece ser bem difundida (Jr 9,25-26).

Celebração da Páscoa: Possivelmente uma referência à festa dos pães ázimos (Ex 23,15; 34,18). Nota-se que não há cordeiro, algo que será combinado mais tarde. Trata-se de uma festa comunitária (Dt 16,5-8; 2Rs 23,23). Josué é apresentado como um antecessor de Josias.

Temos referencias às duas festas: a) décimo quarto dia; b) decimo quinto dia = Páscoa. Está celebração da Páscoa fecha o ciclo de Moisés.


Capítulo 6: Tomada de Jericó: 1) prelúdio (5,13-15). Revelação feita para Josué. Assim como a Moisés (Ex 3,1-4,17), Josué experimenta uma revelação: chefe dos exércitos de Javé (Ex 3,4). A ordem de Josué é a mesma de Ex 3,5.

Tomada de Jericó: a) instrução (6,1-7); b) procissão de queda dos muros (6,8-21); c) pacto com a família de Raab (6,22-26).

_______________________________________

Notas/ITESP – LitDrt – Frizzo – Mar/2017

0 visualização

Professor Padre Antonio Carlos Frizzo

Possuo doutorado em Teologia Bíblica pela PUC-Rio (2009). Sou professor no Instituto São Paulo de Estudos Superiores (ITESP- SP) e assessoro cursos no Centro Bíblico Verbo, SP.

  • Grey Facebook Icon
  • Black Facebook Icon